O serviço online comunitário para reservas de casas, pousadas e apartamentos, Airbnb, anunciou que vai oferecer, gratuitamente, moradia para barrados pela medida que impede com que, pessoas de sete países diferentes, entrem no Estados Unidos – todos são de maioria muçulmana.

A decisão foi anunciada pelo CEO da companhia, Brian Chesky, através de seu Twitter Oficial.

“O Airbnb vai fornecer alojamento gratuito para refugiados e qualquer um que não será permitido nos Estados Unidos. Fiquem atentos para mais, contacte-me em caso de urgência necessidade de habitação” – escreveu, através twitter, o CEO da companhia, Brian Chesky.

Entenda o caso

O presidente do EUA, Donald Trump, assinou na última sexta-feira, um decreto que impede por 90 dias, a entrada de pessoas de sete países em território Estadunidense. São eles; Iraque, Iêmen, Síria, Irã, Sudão, a Líbia e Somália. Na sexta, pessoas que vieram desses países, inclusive quem tem autorização de moradia no Estados Unidos, foram barradas nos Aeroportos do País.

No mesmo dia, e também no fim de semana, milhares de pessoas tomaram os saguões dos Aeroportos onde haviam presos para deportação, defendendo a inconstitucionalidade da medida assinada por Trump, e pedindo com que os refugiados e nascidos nos países proibidos, fossem liberados, e a medida derrubada.

Airbnb airbnb vai oferecer moradia gratuita para barrados por trump no eua
Manifestantes protestam no aeroporto internacional John F. Kennedy, em Nova York, no sábado (Foto: Craig Ruttle/AP)

Repercussão Mundial

  • Justin Trudeau, Primeiro-Ministro Canadense, anunciou em suas redes sociais que, o Canadá está de portas abertas para refugiados, e pessoas que querem fugir de conflitos e guerras. Trudeau completou, afirmando que “A diversidade é a nossa força”.
  • Os ministros das Relações Exteriores da França e Alemanha afirmaram estar “preocupados” com as decisões de Trump e destacaram que “acolher refugiados que fogem da guerra é parte de nosso dever”.
  • Angela Merkel, Chanceler da Almanha, “está convencida de que a guerra decidida contra o terrorismo não justifica que se coloque pessoas sob suspeita generalizada em função de uma determinada procedência ou religião”, declarou o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert.

Juíza Federal derruba medida de Trump

A Juíza federal Ann Donnelly aceitou um pedido da União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU, da sigla em inglês) na noite deste sábado (28) para suspender as deportações de refugiados e imigrantes que estão ou chegarão aos Estados Unidos e que tenham vistos válidos. A decisão vale apenas para pessoas que já estão em trânsito para o EUA, ou que já chegaram até o país.

Casa Branca volta atrás e muda regras para medida

O chefe de gabinete de Donald Trump afirmou neste domingo (29) que estrangeiros que tiverem a autorização permanente de residência nos Estados Unidos, que é chamada de “green card”, não estarão inclusos no veto imposto pelo governo a imigrantes e viajantes de países de maioria muçulmana. Informações: G1