A Anatel deu um verdadeiro tiro no pé ao autorizar operadoras de telefonia móvel em limitar planos de banda larga fixa. Em consequência da ação do presidente do Órgão destinado a defender os consumidores contra abusos de serviços de telecomunicações – João Rezende, a Anatel se tornou alvo de críticas de diversos órgãos públicos como o Proteste, Procon, OAB e o Ministério das Comunicações.

Ao enfrentar os órgãos públicos que se posicionaram contra o limite de banda larga fixa, a Anatel encontrou em seu caminho o Anonymous – legião de hackitivistas que lutam em defesa da população contra medidas que ferem a liberdade de expressão, os direitos e em diversas outras causas. O Anonymous é um dos principais alvos de cassação das agências de segurança do Estados Unidos, em especial o FBI, que já foi alvo de retalhação do grupo de hackers para defender seus ideais.

Agora, a mais nova vítima do Anonymous foi a Anatel que teve seu site derrubado e seu banco de dados compartilhado na internet em defesa dos consumidores contra o limite de banda larga fixa. O site foi derrubado por volta das 17:30 da tarde de Quinta-Feira e continua indisponível até o momento da publicação desta matéria. O site da Agência Nacional de Telecomunicações recebeu picos de 40GB de tráfego em um ataque furioso na operação #OpOperadoras.

Pressão de Órgãos de Defensoria Pública + Pressão popular + Ataque do Anonymous = Anatel se rende

A Anatel anunciou na noite de ontem que todas as operadoras estão proibidas de praticar o ato de limitar a internet banda larga fixa por tempo indeterminado. No texto publicado na página oficial da Anatel no Facebook, a Agência informa que está proibido o ato de oferecer planos limitados, interromper a navegação de contratos de planos já em vigor e reduzir a velocidade independente se o existe ou não uma cláusula que permita o ato em contrato.

Ainda que a Agência tenha se posicionado impedindo o limite de banda larga fixa por tempo indeterminado, isso talvez não queira dizer que a Anatel de fato impeça que operadoras limitem a banda larga fixa no Brasil. A Agência informou que o prazo é indeterminado, mas que tomará uma decisão sobre o assunto e que até a conclusão deste processo, as operadoras estão proibidas de praticar o ato.