O FBI conseguiu o desbloqueio do iPhone de um dos suspeitos de terrorismo em São Bernardinho, Califórnia que deixou cerca de 14 mortos e outros 17 feridos. O serviço de inteligência utilizou um método desconhecido para efetuar tal prática, e tirou as ações judiciais impostas a Apple na Justiça Americana.

Agora, após o FBI se ‘declarar’ vitorioso no caso, a Apple resolveu falar oficialmente sobre, e informou que vai continuar trabalhando junto a Justiça como implica a Lei e vai aumentar cada vez mais a segurança de seus dispositivos;

“Desde o início, nós estivemos contra às medidas impostas do FBI para que Apple desenvolvesse uma ‘backdoor’ no iPhone porque acreditávamos que era errado e abriria um precedente perigoso. ” – afirmou a Apple em declaração oficial segundo o canal CNBC

“Vamos continuar a ajudar na aplicação da lei com suas investigações, como temos feito desde o começo e vamos continuar a aumentar a segurança dos nossos produtos, como as ameaças e ataques aos nossos dados se tornam mais frequentes e mais sofisticados.

Apple acredita profundamente que as pessoas nos Estados Unidos e ao redor do mundo merecem privacidade, segurança e proteção de dados. Sacrificar uma para a outra, só coloca as pessoas e os países em maior risco.

Este caso levantou questões que merecem uma conversação nacional sobre nossas liberdades civis e a nossa segurança colectiva e privacidade. Apple continua empenhada em participar nesta discussão.”

Apple vs FBI

O caso começou quando a Apple recusou desenvolver um programa para desbloquear iPhones para os serviços de inteligência dos EUA devido ao caso de terrorismo em São Bernardinho. Ao recusar, a Apple foi intimada em Justiça Americana.