X

Em crise, Correios aumenta preços e diminui eficiência

Imagem: Brasilia.deboa.com - Acervo do Museu Nacional dos Correios

O Correios é uma das estatais que mais sofre com a crise econômica vivenciada no Brasil desde 2015.

Desde que começou, a crise já afetou vários serviços importantes do Correios, como o e-Sedex, que já não existe mais. Além disso, preços elevados, aumento no prazo de entrega das encomendas e demissão de funcionários concursados, está dando dor de cabeça para muita gente.

Nos últimos meses, percebemos um aumento absurdo nos prazos estabelecidos para entrega de encomendas pelo Correios nas modalidades mais baratas. Por isso, decidimos criar este artigo para demonstrar o quanto o serviço entrou em decadência devido aos efeitos da crise da estatal.

PAC: O serviço mais prejudicado

O PAC, serviço de envio econômico do Correios, sofreu diversas mudanças estruturais e de logística nos últimos meses – a começar pelo preço, que foi de “barato” para caro, muito caro.

Uma vez considerado vantajoso e econômico, o PAC se mostra hoje uma opção pouco viável para os consumidores. Antes de iniciar cortes e mudanças, os Correios trabalhavam com o prazo de até 7 dias úteis para entrega de encomendas via PAC.

Posteriormente, o prazo foi modificado para até 9 dias úteis para entregas em todo o país. Agora, em meio às mudanças realizadas para corte de gastos, o PAC pode chegar aos absurdos 24 dias úteis – e, segundo um atendente do Correios em que procuramos para esta notícia, em algumas regiões, o PAC não tem mesmo nem prazo.

Simulação no site do Correios mostra prazo absurdo para entrega de encomenda via PAC. (Imagem: Reprodução/Correios)

Fim do e-Sedex: Encomendas online com preço elevado

Se você já se acostumou em pagar fretes com preços acessíveis na internet, é hora de se preocupar. O Correios decretou o fim do e-Sedex, a modalidade do Sedex especial para e-commerce.

O e-Sedex reduzia bastante o valor do frete. Com isso, você poderia comprar produtos sem se preocupar que o frete possa ser maior do que eles mesmos.

A diferença é tão grande, que ao analisar o preço de um smartphone qualquer no Mercado Livre, o frete via Sedex antes do fim do e-Sedex, ficava em torno de R$ 18,00 saindo da capital Paulista para Belo Horizonte.

Agora, o valor foi para aproximadamente R$ 35,90 saindo de São Paulo. O mesmo valor cobrado pelo Sedex Comum. Em alguns casos, como a análise feita em um Galaxy S8, o frete pode chegar aos R$ 101,00, saindo do Paraná.

Você sabia que é seu direito receber indenização do Correios por atraso na entrega das encomendas?

Quando o Correios excede o prazo de entrega das encomendas (isso acontece com muita frequência na modalidade PAC), você pode e deve solicitar a indenização na agência mais próxima.

Segundo o Correios, a indenização pode chegar em até 30% do valor total da encomenda e não é aplicada aos serviços adicionais e produtos eventualmente adquiridos. O cálculo é feito referente aos dias de atraso. Veja a tabela;

Devolução progressiva por dias de atraso, sobre os valores pagos na postagem da remessa:

a) 10% para 1 dia de atraso
b) 20% para 2 dias de atraso
c) 30% a partir 3 dias de atraso

O que o consumidor diz sobre mudanças, atrasos e aumento nos preços dos Correios?

Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

Não é de se esperar um feedback positivo dos consumidores. Pessoas do Brasil inteiro dependem do Correios para envio e recebimento de remessas.

O grande problema é que o Correios domina ‘a parada toda’ – isto é, o Correios é o único presente em praticamente todos os municípios Brasileiros. Com todo esse império no mercado de fretamento de encomendas no país, o Correios segue como o principal, ou talvez a única opção para várias cidades do interior.

Com isso, o consumidor segue calado sem muito o que fazer, apenas guardando cada vez mais rancor de uma empresa que iniciou suas operações em 1663.

“Sou usuário do Correios e está ficando cada vez mais difícil depender da empresa para tentar agradar meus clientes. Antes, o prazo para receber peças para efetuar reparos era de no máximo 5 dias. hoje, estou aguardando um produto desde o dia 02 de junho. no dia 19, ele constava em minha cidade, mas continua sem sair para entrega. o mesmo acontece para uma encomenda que enviei. já está há três semanas sem status de entrega ou rota para entrega” – apela um dos entrevistados em agência de sete lagoas.

Se o Correios descresse, em quais meios devo recorrer?

O Brasil não entrega a liberdade que o Estados Unidos e outros países dão às empresas de fretagem de remessas. Mesmo assim, existem várias desses empresas “courrier” operando no Brasil, e que trazem serviços de qualidade.

Vamos dar exemplos da DHL e Jadlog. Esta última, tem cobertura em diversos pontos do Brasil.

DHL

Tivemos muito prazer em utilizar a DHL. O preço não é muito diferente do praticado no Sedex. Fizemos o teste com uma encomenda expressa saindo do Rio de Janeiro, com destino à cidade de Sete Lagoas.

Para chegar até aqui, a encomenda foi postada em uma quinta-feira. Logo, seguiu no mesmo dia para Belo Horizonte. No domingo, já estava na capital, mas precisou de redespacho para seguir até o destino indicado.

Gigante alemã “DHL” opera em todo o planeta. (Imagem: Reprodução/ArabianSupplyChain)

A DHL até que consegue chegar até os principais centros do país, no entanto, em várias cidades do interior, as encomendas são entregues via “redespacho” – ou seja, quando chegam até a capital, são levadas até o Correios, ou outras empresas de fretagem, e de lá, seguem até as cidades do interior.

Na nossa experiência com a DHL, o produto chegou na quarta-feira seguinte, sendo entregue pela Jadlog, na qual vamos falar daqui a pouco.

A DHL é uma companhia Alemã, e está investindo para operar de forma presente no Brasil.

JadLog

Com a Jadlog, optamos pelo frete normal, semelhante ao PAC. Ficamos felizes com o resultado!

Comprei uma bike na internet. Devido ao tamanho do produto e seu peso, foi necessário o envio via JadLog, para evitar o valor alto cobrado pelo Correios.

Para inicio de conversa, o valor do frete ficou próximo de R$ 40,00. Para uma bicicleta com o peso bruto aproximado de 3 quilogramas, é um valor bastante expressivo para quem quer economizar.

JadLog tem qualidade e rapidez nos serviços garantidos. (Imagem/Reprodução JadLog)

Postado de São Paulo para Sete Lagoas, a bike saiu de São Paulo no mesmo dia do evento, 18/05. No dia 23/05 saiu para entrega ao destinatário.

Por R$ 40,00 e entrega em tempo hábil, a JadLog se torna uma das melhores opções para quem quer correr dos Correios.

Outras companhias de fretamento de remessas

Não fique somente nesta linha; existem diversas outras companhias de fretamento.

Antes de escolher o Correios e a modalidade PAC, é saudável “dar um Google” e experimentar novas opções.

O que esperar do Correios para os próximos anos?

O Correios passa por uma grave crise, correndo riscos até mesmo de uma futura privatização.

Não adianta esperar que o serviço continue com a mesma qualidade, sendo que continuará perdendo muito dinheiro. O ideal é mesmo uma reestruturação.

O único grande problema nisso, é que o cliente sempre vai pagar pelo preço para consertar uma má administração.

A estatal está investindo em uma operadora de telefonia móvel – “Correios Celular” – que para surpresa de muitos, oferece planos bastante atrativos.

O mais barato deles custa R$ 30,00 por mês, englobando 100 minutos de ligações para qualquer operadora e telefone fixo do Brasil, Whatsapp à vontade enquanto estiver no plano e sem descontar na franquia (com exceção de envio e recebimento de vídeos), Roaming gratuito em todo o território nacional, e algumas outras vantagens.

A operadora pretende atingir a marca de 3 mil cidades com cobertura até o final de 2017.

Vamos torcer para que o Correios consiga lucratividade com sua operadora, podendo balancear seus gastos no setor de fretamento. Assim, poderemos pelo menos sonhar com um Correios justo e mais rápido.

Resposta do Correios

“A descontinuidade do serviço e-SEDEX é resultado de uma reorganização do portfólio de serviços dos Correios voltados para o comércio eletrônico. Como parceira do e-commerce brasileiro, a empresa nunca tomaria uma decisão que pudesse prejudicar vendedores e compradores do segmento.

O e-SEDEX era um serviço com abrangência limitada para postagem e entrega em apenas 250 cidades. Agora as lojas virtuais contam com pacotes de serviços SEDEX, PAC e Logística Reversa para o comércio eletrônico, que chegam a todos os 5.570 municípios do país, e oferecem benefícios que vão desde redutores de preços até a possibilidade de um pós-venda dedicado. O que se pretende é focar não apenas um único serviço dedicado, mas pacotes de serviços específicos para o e-commerce. Portanto, não houve redução da qualidade e eficiência no atendimento e na entrega ao comércio eletrônico.

Assim como todas as empresas no mercado, os Correios traçaram as estratégias de atuação dos serviços por preço ou por prazo, buscando melhor atender às necessidades dos clientes de maneira sustentável. Com a Política Comercial, os Correios definiram novos preços e prazos de acordo com a localidade e o perfil de consumo do cliente. Com relação aos serviços, não procede a informação de “mudanças estruturais e de logística”. Os serviços citados permanecem com as mesmas plataformas operacionais.

Sobre a afirmação de que o PAC se mostra hoje uma opção pouco viável para os consumidores, cabe ressaltar que o serviço mantém os 7 dias úteis de prazo para a maior parte do país, como de São Paulo a Belo Horizonte, diferentemente do informado no artigo. O prazo citado, de 24 dias úteis, aplica-se somente a localidades mais longínquas ou com maior dificuldade de acesso logístico, como de Curitiba a Macapá, por exemplo. Trata-se de excepcionalidades, e não regra. No caso de uma encomenda de até 1kg, como um smartphone, de São Paulo a Belo Horizonte, o valor fica em R$18,30 por PAC e R$29,00 por SEDEX. De Curitiba a Macapá, os valores alternam entre R$37,60 e R$86,90, para PAC e SEDEX, respectivamente.

Em relação à informação de que houve demissão de funcionários concursados nos Correios, a empresa esclarece que não procede. No início do ano, foi lançado um programa de demissão incentivada (PDI), como uma das medidas que visam o ajuste financeiro da empresa. Vale esclarecer que a adesão ao plano foi voluntária e contemplou apenas empregados aposentados pelo INSS, com idade acima de 55 anos e mais de 15 anos de serviços prestados aos Correios.

A respeito das indenizações por atraso nas entregas, pela lei postal, somente o remetente tem esse direito. De qualquer forma, o cliente deve formalizar um pedido de informação por meio dos canais oficiais de atendimento da empresa, que não incluem as agências. No site dos Correios, www.correios.com.br, estão disponíveis os contatos.

Em resposta à afirmação de que “o grande problema é que o Correios domina ‘a parada toda’ – isto é, o Correios é o único presente em praticamente todos os municípios brasileiros. Com todo esse império no mercado de fretamento de encomendas no país, o Correios segue como o principal, ou talvez a única opção para várias cidades do interior”, ao contrário do que muitos pensam, ter a obrigatoriedade da universalização postal envolve não apenas bônus, mas também ônus para a empresa. Atender as regiões com menor demanda acaba onerando os cofres da estatal, pois, em alguns casos, os preços não cobrem os custos da operação.

Por fim, esclarecemos que a privatização da empresa não está nos planos da atual diretoria. O objetivo do presidente Guilherme Campos é revitalizar os Correios, fazendo com que a estatal continue a prestar serviços da mais alta qualidade e com a excelência que os clientes merecem.”

Felipe Victor :Um simples aspirante buscando conhecimento e compartilhando ao mundo.
Disqus Comments Loading...