Ontem o WhatsApp anunciou que iria passar a encriptar as conversas com a criptografia ponto-a-ponto. Criptografia ponto-a-ponto (P2P) é onde a mensagem é criptografada na saída e só será descriptografada quando chegar ao outro dispositivo, para que mais ninguem, nem mesmo o WhatsApp, possa ler. Apesar disto parecer muito bom, outras medidas são necessárias para você conversar com um bom nível de segurança. Vamos à elas!

Não guarde mensagens em seu celular

Para que uma mensagem realmente permaneça secreta, exclua-a de seu celular após ler. Isso evita que alguém que estiver com seu celular consiga ler suas mensagens, assim como aconteceu no caso do terrorista de San Bernadino, onde o FBI conseguiu desbloquear o iPhone e assim ter acesso às mensagens. O Telegram, por exemplo, vem com o recurso de auto-destruição, que exclui as mensagens depois de um determinado período de tempo.

Não faça backup das mensagens para a nuvem

Certifique-se de não sincronizar o WhatsApp com alguma nuvem, isso evita que as mensagens recebidas sejam salvas em um servidor remoto. Se a informação estiver na nuvem pode ser intimada pelo governo. Também não print uma troca de mensagens, pois sua galeria pode fazer backup automático e pode ficar vulnerável se você perder seu celular.

Verifique se alguém está olhando sua conversa

Nenhuma criptografia te protegerá se alguém estiver olhando suas conversas pessoalmente. Então tome precauções na hora que estiver digitando no seu celular em um local com várias pessoas. Do mesmo modo que se toma cuidando ao digitar a senha bancária ou outros dados pessoais. De preferência digite em uma sala sem janelas e de costas para a parede. Precaução nunca é demais.

Certifique de que a pessoa com quem está conversando está tomando as mesmas precauções

Obviamente, pois a criptografia é ponto-a-ponto, o que exige que os dois pontos estejam tomando as mesmas precauções para que a criptografia seja eficiente.