Uber

Milhares de pessoas twittaram que estão apagando suas contas Uber, em meio as acusações de que a empresa participou da quebra dos protestos de taxistas em Nova York, suspendendo, durante os protestos contra a proibição de refugiados do presidente Donald Trump, o aumento dos bilhetes.

Os usuários começaram a deletar suas contas, assim que o Uber publicou um Tweet, anunciando o corte no aumento dos bilhetes Uber na cidade de Nova York, sendo que, os taxistas haviam convidado todos os integrantes do Uber, para integrar aos protestos contra as medidas de Donald Trump – a intenção inicial, era que nenhum serviço de Táxi funcionasse entre às 18:00 e às 19:00 da noite de sábado.

No Twitter, diversos usuários prestaram repúdio à atitude da companhia, que, segundo eles, aproveitou dos protestos para cortar o aumento das corridas, e se contrapor aos Taxistas que protestavam a favor dos refugiados.

Uber nega ‘boicote’ ao protesto

Ao ter a reputação manchada, o Uber, através do Twitter, publicou uma série de notas, informando que houve um mal entendido. Segundo a companhia, o corte no aumento das corridas não quis afetar os protestos e nem se opor aos taxistas, mas atender aos prejudicados.

“#Deleteuber” está esteve entre os assuntos mais falados no mundo. O Uber só se pronunciou através do Twitter.

1