Sensor de desbloqueio do Galaxy S10 é revelado pela Qualcomm

Durante a Snapdragon Technology Summit a empresa fez várias revelações sobre seus produtos dando destaque para o que pode ser o sensor de desbloqueio do Galaxy S10. 

Diferente do que todos achavam sobre o tipo de sensor que seria utilizado pela Samsung no aparelho, o sensor óptico dará lugar a um possível sensor ultrassônico, o qual a Qualcomm o chama de sensor sonoro 3D. A empresa de processadores afirma ainda que essa tecnolologia será lançada em dispositivos móveis disponíveis no primeiro semestre de 2019.

É absolutamente notório que a Samsung está atrasada quando o assunto é lançar um smartphone com um sensor de impressão digital na tela — coisa que empresas chinesas como a Xiaomi já vêm fazendo em aparelhos a exemplo do Xiaomi Mi 8 –, mas o que parece é que a Samsung tem mesmo é esperado por uma tecnologia inovadora como é o caso do sensor ultrassônico,  desenvolvido pela Qualcomm, para o tão esperado Galaxy S10.

Como funciona um sensor óptico?

Imagem relacionada qualcomm revela que o galaxy s10 terá sensor ultrassônico
Imagem: Reprodução/Samsung – O Galaxy S10 poderá vir com um sensor ultrassônico em vem de um sensor óptico como mostra a imagem

Os sensores ópticos funcionam quando pressionamos o dedo contra a tela do aparelho. Dessa forma, a tecnologia faz a leitura da digital previamente cadastrada e desbloqueia o dispositivo.

Apesar de ser muito mais barata do que a tecnologia que poderá ser utilizada no mais novo dispositivo da Samsung, essa tecnologia é boa, mas não é 100% confiável e segura, pois se você tiver uma imagem perfeita da impressão digital do dono do aparelho, conseguirá desbloqueá-lo ao apontar para a tela do smartphone.

O sensor 3D Sonic da Qualcomm faz as coisas de maneira um pouco diferente. Ele não armazena apenas uma imagem plana do dedo pressionado contra a tela. A capacidade “ultra-sônica” é o que permite que o sensor desenvolva um molde 3D do dedo, refletindo as ondas sonoras da pele. Captura detalhes incríveis até os cumes e poros que são únicos para todos. Essa tecnologia faz com que o smartphone seja desbloqueado mais rápido do que os sensores de impressão digital existentes no mercado.

Vale ressaltar que essa capacidade torna o sensor mais preciso e seguro.

Ainda serão feitos testes com essa nova tecnologia de desbloqueio para que seja quase impossível falsificá-la ou utilizada por outras empresas sem a devida autorização.

Quanto o aparelho pode custar com essa tecnologia?

Ao que tudo indica, o Galaxy S10 deve chegar ao mercado com um preço bem salgado, visto que a Samsung é conhecida pelo alto investimento em publicidade e esses custos são repassados aos preços dos aparelhos. A exemplo disso temos o Galaxy S9 que chegou ao Brasil custando mais de R$ 3 mil e teve muita publicidade para ter promoção no mercado brasileiro de smartphones.