Adam Wingard, diretor da adaptação de Death Note produzida pela Netflix, afirmou que o longa terá “muita violência”.

Vale lembrar que o serviço de streaming não possui sistema de classificação indicativa. “Podemos fazer o que quisermos. Isso é o legal sobre isso (o projeto), porque é um filme de anime. Tecnicamente, estamos trazendo um desenho à vida. E, para mim, o grande negócio sobre anime é sua vocação para temas adultos”, disse em entrevista ao Collider.

Filme "Death Note" da Netflix terá muita violência; diz o diretor filme "death note" da netflix terá muita violência; diz o diretor
Filme “Death Note” da Netflix terá muita violência; diz o diretor

Wingard diz que o tom do longa será similar ao de seu filme The Guest e para adultos. “Lembro-me de ver nas locadores a fita de Akira com um selo estampado dizendo que não era para crianças. Isso sempre me impactou. Então, estou fazendo minha primeira adaptação de anime, e é importante ter estes temas adultos. Então, haverá nudez, palavrões, e uma tonelada de violência”, completa.

Nat Wolff vive o protagonista Light Turner. Margaret Qualley, Paul Nakauchi e Shea Whigham também estão entre os atores dirigidos por Adam Wingard. O roteiro de adaptação de Death Note foi assinado por Jeremy Slater (Quarteto Fantástico).

O enredo acompanha um estudante que encontra um caderno misterioso. Light Turner descobre que é possível matar qualquer pessoa apenas escrevendo o nome da vítima nas páginas do caderno. O jovem decide usar o objeto encontrado para eliminar criminosos, mas logo nota que está em perigo.

Criado pela dupla Tsugumi Oba e Takeshi Obata, Death Note foi publicado originalmente no Japão, na revista mensal Shonen Jumpentre. No Brasil, o mangá foi lançado pela editora JBC.