O Snapchat vive tempos sombrios após uma entrada triunfal na Bolsa de Valores, que agora está com ações cada vez mais desvalorizadas.

Incomodado com o grande tiro do Facebook e seu recurso “Stories”, o que acabou abalando o Snapchat, a companhia encaminha para um abismo cada vez mais profundo, recebendo agora uma denúncia grave de xenofobia, de um ex-funcionário da companhia.

Segundo Anthony Pompliano, Evan Spiegel, o CEO do Snapchat, afirmou em uma reunião quando ele ainda trabalhava na companhia, que o aplicativo não foi feito para pobres e, supostamente motivado a isto, é que o aplicativo para o Android teria um desempenho inferior ao aplicativo para iOS.

Segundo Pompliano, durante uma reunião 11 de setembro de 2015, o Spiegel teria dito a seguinte frase em uma tentativa de impedir a exposição das ideias Anthony, ex-funcionário:

“Este é aplicativo é somente para pessoas ricas. Não estou interessado em expandir dentro de países pobres como Índia e Espanha”.

Anthony havia dado a dica para que o Snapchat entrasse em mercados como a Índia e Espanha, recebendo o comentário acima, como resposta.

Resposta do Snapchat

Em sua defesa, os advogados do Snapchat alegam que o Pompliano “ficou trabalhando na empresa por apenas três semanas e foi demitido após uma reunião na qual continuou discordando de algumas métricas utilizadas pela empresa”.

Demonstre uma reação nesta publicação
Curti Amei Haha Uau! Triste Grr!
1
VIAPhandroid
FONTETudo Celular
COMPARTILHAR

Técnico em Informática e fundador do TecStudio. Apaixonado por astronomia, ciência, tecnologia, games, séries, cinema, música e arte. Estou no Instagram @phvictorr e em outras redes sociais.

  • Romualdo

    Não são todos os pobres querem usar isso.