A Microsoft, que em meses atrás parecia extremamente confiante em seu sistema para dispositivos móveis, o Windows 10 Mobile, viu sua receita no setor de Smartphones cair consideravelmente, mesmo após o lançamento do sistema. Motivo? Sim, e não é somente por culpa dos consumidores que ignoram Lumias em prateleiras de lojas em todo o mundo, mas sim da Microsoft, que não reabastece o estoque da maioria das lojas, principalmente no Brasil, por que não fabrica mais aparelhos no país, e também não vende mais aparelhos como os Lumias 520, 630, 730, 925, 830, 930, 1320 e 1520, os maiores líderes de vendas no setor Mobile da Microsoft.

Agora, de acordo com um relatório dado pelo site VTECH, a empresa vai acrescentar cerca de 50% da equipe do setor Microsoft Mobile para o setor da linha Surface, e demitir os outros 50%. Ainda sim, a Microsoft, licenciada para utilizar a marca Nokia até 2024, deve vender sua licença para a Foxconn; o que sugere que a Microsoft não deve mais fabricar Smartphones, ou então, deverá terceirizar sua fabricação junta a Foxconn.

Caso a terceirização aconteça, poderemos ter Lumias produzidos no Brasil novamente, por meio da Foxconn, mesma fabricante de aparelhos da Apple. Pensando assim, com a licença para fabricar aparelhos com o nome Nokia, a Foxconn pode retomar a fabricação de diversos aparelhos, como os Lumias 520, 630, 730, 925, 830, 930, 1320 e 1520, alguns dos principais líderes de vendas de Lumias no Brasil, fazendo com que a Microsoft retome o seu fluxo de vendas e reabasteça o estoque de diversas lojas físicas e online em todo o Brasil e em países onde faltam destes aparelhos.

Ainda que nada foi revelado oficialmente, se tratando apenas de rumores, ainda não podemos relatar qual é a verdadeira intenção da Microsoft. A companhia já revelou que o setor Mobile não é prioridade por agora, mas que não vai deixar na mão este setor, pois precisa dele para a familiarização do Windows 10 em um sistema Universal.  Outro ponto que leva a acreditar que este rumor pode ser algo positivo, é que a empresa perdeu mais do que ganhou quando se ‘afastou’ da linha Lumia. A receita da companhia caiu junto aos números de vendas de aparelhos Lumia, mesmo que ainda, o setor trazia prejuízos para a Microsoft.