Luca Moreira: Nos dias de hoje é quase impossível encontrar alguém que não tenha um smartphone na mão, ou que não esteja conectado pelo menos algumas horas por dia, tanto que estimativas feitas pela Anatel concluíram que só no Brasil existem mais de 240 milhões de aparelhos, e claro que o setor comercial e publicitário não iria ignorar esse fato.   

Em meados de 2008, a tecnologia do Bluetooth chegou para revolucionar a maneira de como as pessoas utilizam os seus dispositivos móveis e tivemos a chegada de diversos recursos como o controle sem fio entre smartphones, comunicação sem fio entre computadores, e a mais recente novidade, o BlueCasting.

bluecasting
Imagem: Reprodução ‘Fandom’

Recém-chegado a alguns pontos da cidade do Rio de Janeiro, o recurso chegou primeiro em São Paulo. Além de ser um sinal de comodidade e conforto aos usuários, é também uma grande ferramenta para os comerciantes e publicitários locais.

Conectado à rede, o sistema permite que os pontos comerciais enviem mensagens automáticas aos possíveis públicos, quando passarem perto de uma loja que possa interessá-los, como cafeterias e restaurantes, que podem indicar promoções e valores exclusivos aos que receberem suas notificações.

Apesar dessa gama de recursos e possibilidades, muitas fontes como a BBC News* alertam para alguns riscos de se deixar o dispositivo conectado diretamente a rede. O que serve de contrapeso a essa nova tecnologia é que o telefone, buscando se conectar diretamente a esses pontos, poderá acelerar o consumo de bateria e eventualmente expor seu dispositivo a riscos de vírus em rede pública.

Referência de Pesquisa: “Os Riscos de Manter o Celular e outros dispositivos conectados ao Bluetooth – BBC News / G1”

Texto: Luca Moreira – Adaptação