O professor Ciswal Santos ganhou destaque na mídia recentemente ao anunciar um computador de R$ 22 para estudantes de baixa renda. Muita gente aplaudiu a honraria do professor e compartilharam a notícia nas redes sociais, o que chamou bastante atenção de profissionais da área.

A ideia consiste em um computador de bolso, capaz de rodar o sistema Windows 98 e até mesmo espelhar na tela do celular ou em uma TV.

No entanto, o sistema eletrônico desenvolvido em uma proto board não tem processador, memória e nenhum circuito capaz de transmitir imagem para uma tela externa.

Computador de R$ 22 do ex-catador de latinha e professor Ciswal é na verdade um simulador computador desenvolvido por ciswal santos em juazeiro do norte foto ciswal santos 2
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Além de não conter componentes específicos para o funcionamento de um computador de bolso, chama a atenção a manipulação do sistema operacional. Identificamos na verdade, que Ciswal utilizou um emulador de Windows 98 para Android, com o proposito de mostrar o sistema em funcionamento para os jornalistas.

Percebendo o exposto, fóruns sobre a temática computacional lotaram de tópicos sobre o assunto e usuários em grupos do Facebook condenaram a matéria.

Pensando em desmistificar o projeto, entramos em contato com Ciswal Santos e questionamos as imagens divulgadas referentes ao computador de bolso.

Segundo Ciswal, “a foto vinculada é apenas para ilustrar a ideia”, deixando claro que não se trata do equipamento em si. Ainda segundo Ciswal, “o valor de R$22 foi um erro de comunicação técnica” e que “o projeto final teria um custo de até R$100”.

Ciswal também relatou ameaças em seus perfis pessoais depois da veiculação da matéria.

“Estou recebendo diversos ataques, inclusive ameaças e tive que privar minhas redes sociais para proteger meus queridos”.

Ele também contesta, afirmando que “na matéria foi dito que eu tinha inventado e isso não foi dito por mim”. Ciswal finalizou dizendo que vai colocar o projeto em prática e apresentá-lo “em pleno funcionamento” e depois doá-lo para quem se dispor a produzir e engajar na intenção de ajudar pessoas de baixa renda.

Para o professor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Harlei Miguel de Arruda Leite, Doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), “o computador apresentado pelo Ciswal é na realidade um smartphone executando um emulador”.

Segundo Harlei, “pelas imagens, a eletrônica apresentada tem por finalidade conectar dispositivos periféricos no sistema, como mouse e teclado. No entanto, a emulação de um sistema operacional direcionado a desktop/notebook em um smartphone apresenta uma série de limitações quanto ao seu desempenho e a sua capacidade de executar programas que utilizamos no cotidiano, devido a diferenças de arquitetura e ao poder de processamento do smartphone”.

Questionado sobre a possibilidade de um computador de bolso para estudos ter um custo de R$ 22, o professor respondeu que “mesmo que a solução proposta fosse tecnicamente plausível, seu custo seria maior que os R$22,00 anunciado.”

“O processo de criar um computador de baixo custo é um desafio antigo. Quando se fala de um computador de bolso, a dificuldade se amplia, devido a complexidade em encapsular de maneira eficiente os componentes que formam um computador.”

“Considerando as opções disponíveis no mercado, a que mais se aproxima dessa proposta e faixa de preço seria o Raspberry Pi Zero, que custa aproximadamente 150 reais, sem contabilizar no preço os dispositivos periféricos como fonte de alimentação, cartão de memória, mouse, teclado e tela”, finaliza o professor.