É imensurável o número de estrelas, cosmos e sistemas que ‘habitam’ o universo. Nós somos apenas uma pequena porcentagem de tudo o que existe lá fora.

Todo mundo pensa em como são as estrelas. A gente é criança e isso fascina. A gente cresce e isso perpetua, não como uma novidade, mas como uma grande dúvida. Os estudos astronômicos deixam para a humanidade várias respostas sobre o que não podemos tocar. No entanto, ainda não sabemos nem metade do que se pode existir fora da terra.

Um desses estudos tem como ferramenta o brilhante telescópio Hubble, que assim como as estrelas, tem o seu próprio brilho. A única diferença é que ele brilha aqui na terra, onde faz parte dela tanto como qualquer outro sistema que aqui “reside”.

Como tudo o que brilha, o Hubble acaba de brilhar mais uma vez. O telescópio conseguiu capturar uma imagem inédita; estrelas por todos os lados, com idade aproximada de 10 bilhões de anos. O aglomerado de estrelas, é um enorme globular que orbita a Via Láctea.

Os aglomerados globulares são mais densos e mais esféricos do que os aglomerados estelares abertos, como são as famosas “Plêiades“. Eles normalmente contêm centenas de milhares de estrelas que, segundo cientistas, podem ter se formado mais ou menos na mesma época.

A descoberta foi anunciada pela Agência Espacial Norte-Americana. O comunicado não veio seguido da captura que, segundo a NASA, é impressionante. No entanto, não vai demorar muito para que a agência libere logo esse conteúdo que percorreu milhares de quilômetros desde que foi ‘visto’ pelo Hubble.