Windows Phone

O Windows Phone e Windows 10 Mobile começou o ano de 2016 em queda brusca. O sistema que tinha cerca de 5% em participação de mercado em 2014 e caiu para 2% em 2015 sofre nas dependências do abismo com a titularidade de “morto”. Com esses dados, usuários do mundo inteiro começaram à perder seus interesses com a Microsoft, se levado em consideração que um dos motivos para a queda massiva de vendas do Windows Phone foram causadas por ações da empresa, como por exemplo, fechar 27 lojas físicas e quiosques da Microsoft no Brasil, e não produzir smartphones, o que abalou drasticamente o estoque de lojas em todo o país.

Hoje um dado divulgado pelo Netmarketshare impressionou usuários que acompanham o setor mobile; O Windows para dispositivos móveis praticamente dobrou sua participação de mercado no mês de Abril, tendo sua maior alta desde o início das vendas de Windows Phone 8.0, 8.1 e Windows 10 Mobile em todo o mundo.

Windows Phone morreu? windows phone dobra participação de mercado em abril
Imagem: Reprodução www.netmarketshare.com

O sistema da Microsoft estava com 2.54% de participação em Março, e avançou para 4.03% – Quem mais perdeu usuários com o aumento significativo da Microsoft, foi a Apple que viu o seu Market Share (determina grau de participação no mercado em relação à vendas de determinado dispositivo) cair de 31.76% para 28.42%. O Android por sua vez teve aumento em suas vendas de Março para Abril, subindo de 60.99% para 61.92%. O sistema da Google teve sua última queda de vendas em Outubro do ano passado, depois disso, não parou de subir.

Samsung atropela Apple

Quem também se deu bem no mês de Abril foi a sul-coreana com seus novos Samsung Galaxy S7 e S7 Edge. A Samsung teve o Galaxy S7 como líder de vendas, e devido ao baixo desempenho de vendas do iPhone 6S, a sul-coreana atropelou a Samsung ao reconquistar seu trono de primeiro lugar após 11 meses. A Samsung agora tem 28,8% de participação no mercado americano, enquanto a Apple caiu para 23%. Antes disso, a Apple tomava cerca de 40% de mercado, e a Samsung, 30%.