O Ministério da Educação (MEC), órgão de suma importância para a educação no Brasil, acaba de publicar um texto acusando um jornalista do jornal “O Globo” de ser treinado pelo “Partido Comunista Soviético”.

A página oficial da pasta no Facebook, acusa o jornalista Ancelmo Gois do Jornal O Globo de responsabilizar a nova administração do Ministério por apagar vídeos sobre a Educação de Surdos no portal do INES – Instituto Nacional de Educação de Surdos.

Segundo o MEC, os vídeos foram apagados na gestão anterior, em abril, e que abrirá sindicância para investigar o ‘sumiço’ de tais vídeos e materiais.

Citando o nome do atual Ministro da Educação, a pasta ainda enfatizou que o jornalista “foi treinado em Marxismo e Leninismo na escola de formação de jovens quadros do partido comunista soviético“.

MEC é alvo de críticas após erro de português em publicação

Na nota, o Ministério da Educação errou a separação da palavra “Responsabilidades”. No texto publicado, o MEC fez a separação do “re” sem o “s”, o que é considerado um desvio gramatical, uma vez que a palavra deveria ser separada por sílabas, ficando da seguinte forma; “res”.

Nos comentários, usuários brincaram dizendo que o ministério não passaria em uma redação do Enem.

Declaração assusta estudantes e especialistas

Além de escrito em caixa alta (caps lock), o texto demonstra tamanha incompreensão de realidade da pasta da Educação, uma das mais importantes do Governo.

Estudantes e críticos fizeram diversos comentários sobre não saber se estavam realmente lendo uma publicação oficial do Ministério da Educação.

Veja a nota na íntegra;

👇

Posted by Ministério da Educação – MEC on 2019 m. sausio 30 d., trečiadienis
MEC mec
Imagem: Reprodução – Facebook