ROBÔs

Nao é de se duvidar de que qualquer um que chegue pela primeira vez em uma das estações de trem maiores do Japão – Shinjuku ou Tóquio – provavelmente se perguntará se eles verão a luz do dia novamente. Isso se dá por conta das passagens aparentemente intermináveis e os labirintos​ que servem mais para confundir e assinalar todos os cantos do que levar a algum lugar. Isso faz parte da razão pela qual o Japan Railways, a maior companhia ferroviária do país, está tocando o talento técnico local, para que ele possa construir um exército de robôs para capacitar as estações e ajudar os viajantes confusos a encontrar o caminho.
A JR East, que opera um bom número de serviços ferroviários no leste do país, acaba de criar uma nova empresa para desenvolver tecnologia robô para uma série de atividades.
A JRA Robotics Station, como se chama, trabalhará na construção de um robô de orientação para ajudar os viajantes a transitar nas estações, levando-os ao trem ou a saída apropriada. Os bots irão se locomover com a ajuda de rodas e terão capacidades multilíngues para ajudar o crescente número de turistas provenientes do exterior. Eles terão outra função, como a seguinte: os robôs estão configurados para incluir espaços para bagagem, permitindo que você continue pela estação de forma mais confortável, reduzindo a probabilidade de um trabalhador apressado do escritório cheio tropeçar sobre sua mala.
Outras funcionalidades

Os planos da nova empresa também incluem o desenvolvimento de robôs que podem limpar as estações e executar funções de segurança usando câmeras on-board para detectar comportamentos suspeitos, com alertas automáticos enviados para agentes humanos próximos.

A JR East também opera outras instalações, como shopping centers e hotéis, de modo que seus robôs também podem ser implantados nesses locais.
Não está claro quanto tempo levará para que esses robôs multi-talentosos entrem em serviço, mas com as Olimpíadas chegando a Tóquio em 2020, muitas empresas japonesas – com a JR East provavelmente entre elas – estão interessadas em mostrar suas ofertas aos milhões de estrangeiros.

Os viajantes esperavam visitar o país durante a grande extravagância esportiva.
Já se falou muito da introdução de táxis auto-dirigentes em Tóquio até 2020, com várias empresas locais fazendo progressos para torná-los realidade. Enquanto isso, o Pepper, o robô “emocional”, foi lançado pelo gigante de telecomunicações japonês SoftBank há vários anos para realizar uma variedade de tarefas para humanos e já foi implantado em várias instalações dentro e fora do país.
Outro fator que motiva o interesse do Japão pela tecnologia robótica é o envelhecimento rápido da nação e a diminuição da população, com a falta de mão-de-obra um problema crescente para muitas empresas em um país tradicionalmente resistente à imigração em grande escala.

Demonstre uma reação nesta publicação
Curti Amei Haha Uau! Triste Grr!
1