Como todos sabemos, a Microsoft matou a marca Internet Explorer há quase quatro anos, escolhendo o Edge como seu navegador moderno para o Windows 10. O Internet Explorer era um sistema de encanamento para Windows e para compatibilidade de negócios, mas a Microsoft não está suportando novos padrões da Web. Chris Jackson, especialista em segurança cibernética da divisão Windows da Microsoft, já descreveu o que ele chama de “perigos do uso do Internet Explorer como seu navegador padrão” (em inglês).

Embora a maioria dos consumidores esteja provavelmente usando o Chrome, o Firefox ou o Edge, várias empresas ainda dependem do Internet Explorer para aplicativos da web mais antigos que não foram modernizados. A Microsoft tentou muitas maneiras diferentes de incentivar as empresas a melhorar seus aplicativos da Web antigos, mas os administradores de TI adotaram naturalmente a rota mais fácil de usar o Internet Explorer e seus vários modos de compatibilidade ao longo dos anos. No Windows 10, o Internet Explorer 11 usa um ‘Modo Empresarial’ para que os administradores de TI adicionem os sites com os quais desejam usar versões antigas dos padrões da web.

Apenas uma solução de compatibilidade

“O Internet Explorer é uma solução de compatibilidade”, adverte Jackson, em vez de um navegador que as empresas devem usar diariamente para toda a atividade de navegação na web. “Não estamos suportando novos padrões da Web para isso e, embora muitos sites funcionem bem, os desenvolvedores em geral não estão testando o Internet Explorer atualmente. Eles estão testando em navegadores modernos”.

O aviso de Jackson é apropriado, mas a solução Edge da Microsoft não foi boa o suficiente. A Microsoft entregou seu navegador Edge acoplado ao Windows 10 há quase quatro anos, mas a gigante do software não ofereceu uma experiência atraente para consumidores ou empresas. O Edge também não estava disponível no Windows 7 ou no Windows 8, complicando ainda mais as coisas para os administradores de TI.

Ainda segundo Jackson, “se continuássemos nossa abordagem anterior, você acabaria em um cenário em que, ao otimizar as coisas que tem, acaba não sendo capaz de usar novos aplicativos à medida que eles saem. À medida que novos aplicativos são lançados com mais frequência, o que queremos ajudá-lo a evitar é perder uma parte progressivamente maior da Web!”.

A Microsoft está agora construindo uma versão do seu navegador Edge com tecnologia Chromium que estará disponível para testes nas próximas semanas. Ele está sendo dissociado do Windows 10 e as empresas poderão instalar o Edge no Windows 7 ou no Windows 8. Isso ajudará a impulsionar as empresas a migrar do Internet Explorer, mas ainda levará anos para que os aplicativos da Web legados desapareçam de verdade.