Na terra onde não há limites, nem mesmo para a moeda, os brasileiros sempre mudam a forma como chamam o seu precioso dinheiro. Na internet, isso se torna muito comum nas discussões sobre preços e variações e também muda sempre que o Brasil elege novos chefes de estado.

Você já deve ter ouvido falar de “10 dilmas” e “100 temers” nos últimos anos. Agora, com a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, os internautas aderiram aos nomes “50 bozos” “30 bonoros” e “100 bozonoros“. Ainda não houve um concesso sobre qual nome utilizar e em qual situação.

Bozo, Bonoro, Bozonoro

A cultura de nomear o dinheiro

Não há um estudo ou registro de como isso começou. Estima-se que, devido à imagem do chefe de estado – no caso – o presidente ou a presidente da república, acaba transmitindo nas pessoas a sensação de poder de riqueza e tomada de decisões. Por isso, supostamente, as pessoas começam a aplicar o nome dessas pessoas no próprio dinheiro.