O entusiasmo e a ansiedade do mercado em revelar smartphones dobráveis foi o maior erro da Samsung em 2019. A companhia anunciou, juntamente com o Galaxy S10 e suas variações, o primeiro smartphone dobrável do mundo, o Galaxy Fold. Nesse tempo desde o lançamento, vários usuários começaram a relatar problemas com o dobrável, principalmente àqueles que não se atentaram às instruções de uso e acabaram removendo a película protetiva de extrema importância ao dispositivo.

Com toda a repercussão negativa, o co-CEO da Samsung resolveu falar sobre o futuro do Galaxy Fold. DJ Koh admitiu o lançamento precoce do dispositivo, alegando que “a Samsung impulsionou o lançamento do Galaxy Fold antes que estivesse pronto”.

Segundo o The Verge, o Galaxy Fold teria sido o primeiro grande lançamento de um smartphone dobrável e deveria sair no final de abril. Mas, à medida que os revisores começaram a testar o telefone nas semanas anteriores, notou-se que a tela poderia ser facilmente destruída, seja por detritos na superfície ou por erro do usuário.

Um desses erros, como relatado acima, é a remoção da película protetiva do aparelho, indispensável para o uso seguro da tela dobrável.

Koh disse também que a Samsung “resolveu todos os problemas” com o Fold e tem 2.000 dispositivos sendo testados, de acordo com o site The Independent . No entanto, o smartphone ainda não está pronto, como afirma Koh, dizendo: “nos dê um pouco mais de tempo”.

Na entrevista, ele ainda concluiu; “Eu admito que perdi alguma coisa no telefone dobrável, mas estamos em processo de recuperação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui